PCVB

Version in English I

MUSEU CASA DE SANTOS DUMONT

Voltar

Visitação: Terça a domingo de 9h às 17h30 (bilheteria até as 17h). Visita guiada.

Ingressos: Crianças com até 7 anos e adultos maiores de 65 anos têm entrada franca garantida, bem como pessoas com necessidades especiais e/ou mobilidade reduzida e um acompanhante. A visitação para escolas públicas (municipais e estaduais) e para alunos de Educação de Jovens e Adultos (EJA) também é gratuita, desde que haja agendamento prévio, de no mínimo 15 dias de antecedência e capacidade de carga para atendimento no MCSD. Adultos entre 60 e 64 anos e escolas particulares pagam meia entrada.

Foi residência de verão de Alberto Santos Dumont, Pai da Aviação, sendo conhecida como “A Encantada”. O museu conta com acervo de objetos, livros, cartas e mobiliário, bem como o chuveiro e a escada de entrada, com degraus em forma de raquete, que só se pode acessar começando com o pé direito. No Centro Cultural 14 bis, anexo à Casa, pode-se assistir a um curta metragem sobre Santos Dumont. O espaço tem acessibilidade e maquetes táteis para visitantes com necessidades especiais.

Alberto Santos Dumont  foi grande inventor brasileiro, nascido na Fazenda Cabangú, Palmira, atual Santos Dumont, em Minas Gerais, em 20 de julho de 1873, e falecido no Guarujá, São Paulo, em 23 de julho de 1932, após ver São Paulo ser bombardeada por aviões na revolução de 1932.

Construída no antigo morro do Encanto em 1918. Foi em 18 de abril que efetuou a compra do terreno. Foi desenhada e planejada por Alberto Santos Dumont com ajuda do engenheiro Eduardo Pederneiras para servir de residência de verão; e devido a sua localização foi carinhosamente apelidada de “A Encantada”.

A Encantada revela muito da personalidade de Santos Dumont. Uma ampla sala servia-lhe ao mesmo tempo, de biblioteca e escritório; no pavimento inferior, sua oficina e laboratório, na parte de cima, banheiro e quarto de dormir. No terraço, encravado na cobertura de folhas de flandres, o observatório onde passava horas admirando os astros. O prédio é um chalé do tipo alpino francês.

Uma curiosidade da casa é que não tinha cozinha e todas as refeições vinham do Palace Hotel, atual prédio da Universidade Católica de Petrópolis, junto ao Relógio de Flores.

Chama a atenção do visitante a escada recortada em forma de raquete, o que obriga a quem deseja subi-la, a sempre começar com o pé direito.

Foi lá que escreveu seu segundo livro , o autobiográfico " O que eu vi. O que nós veremos."

Seus sobrinhos e únicos herdeiros resolvem então doar  "A Encantada" à Prefeitura de Petrópolis para que nela fosse instalada uma instituição que perpetuasse a memória do inventor.

No ano de 2012, a Casa ganhou um importante anexo, com acessibilidade e maquetes tatéis para visitantes com necessidades especiais denominado Centro Cultural 14 Bis, na Rua do Encanto, nº 158.

Entrada franca
Isenção: escolas municipais e estaduais de terça a sexta-feira.